CCPL’s realizaram ações socioeducativas para alertar sobre o perigo da “brincadeira da rasteira”

Os profissionais que atuam nos CCPL’s orientaram e conscientizaram os munícipes a respeito da prática desse perigoso desafio entre os jovens



Por CCPLBarueri - Publicado em 21/02/2020

CCPL’s realizaram ações socioeducativas para alertar sobre o perigo da “brincadeira da rasteira”
Em virtude da repercussão que houve recentemente a respeito do “desafio da rasteira”, os Centros de Capacitação Profissional e Lazer de Barueri promoveram algumas ações socioeducativas para conscientizar e orientar os alunos e a comunidade local sobre o perigo deste tipo de brincadeira.

Também conhecido como “brincadeira quebra-crânio”, o desafio propõe que duas pessoas, muitas vezes crianças e adolescentes, deem rasteiras em um colega posicionado entre eles, resultando em sua queda brusca. O assunto ganhou mais visibilidade na mídia na última semana, com um vídeo que mostra toda a ação e que logo viralizou nas redes sociais.

Porém, o desafio despertou a preocupação de pais, professores e médicos, pois a prática pode causar graves lesões e até matar. Prova disso é que, em novembro do ano passado, uma jovem de 16 anos que participava dessa perigosa "brincadeira", em Mossoró (RN), foi vítima fatal.

Por esse motivo, nossos profissionais se empenharam a fim de conscientizar o público infanto-juvenil, bem como os adultos e todos os munícipes sobre essa prática perigosa, em todas as unidades. Foram colados cartazes nas unidades e veiculados informativos nas redes sociais alertando a todos.

Desde o dia 14 de fevereiro, a equipe psicossocial dos CCPL’s vêm promovendo ações com o objetivo de orientar e oferecer informações relevantes para os alunos, pais e responsáveis sobre este tipo de brincadeira.

Nas unidades do Engenho Novo e Jardim Paraíso, a assistente social Lilia de Vasconcellos e a psicóloga Fabiana Zucoli promoveram bate-papos com as crianças e adolescentes de forma a evitar que aderissem ao desafio e se machucassem. Já a assistente social Roquenilda Mota e a psicóloga Emilaine Justus – que fazem parte da equipe psicossocial dos polos do Parque dos Camargos e Parque Imperial – realizaram momentos de conscientização com os alunos, visitando as salas de aula em conjunto com alguns colaboradores dessas unidades.

Os pais e responsáveis devem ficar atentos e orientar seus filhos, pois essa é uma prática muito perigosa. E vale ressaltar o alerta: Se é de mau gosto, não é brincadeira!













OUTRAS NOTÍCIAS